Confiar em Deus!

“O justo viverá pela fé” (Rm 1.17).

Confiar em Deus nos momentos de adversidade é claramente algo difícil de fazer; não é como decidir ir ou não ao supermercado ou até mesmo realizar ou não um ato sacrificial.

A confiança em Deus é uma questão de fé, e a fé é um fruto do Espírito. Somente o Espírito Santo é capaz de tornar Sua Palavra viva em nosso coração e gerar a fé. Entretanto, somos nós que escolhemos pedir que Ele o faça; ou podemos escolher ser governados por nossos sentimentos de ansiedade, de ressentimento ou de pesar.

John Newton, autor do hino “Graça sublime” (Amazing Grace), viu o câncer consumir sua esposa lenta e dolorosamente no período de alguns meses. Caminhava de um lado para o outro no quarto, fazendo orações desconexas, fruto de um coração despedaçado pela dor.

Repentinamente, foi atingido por um pensamento com uma força incomum, que lhe comunicou o seguinte: “As promessas de Deus só podem ser verdadeiras; certamente o Senhor me ajudará, se eu tão-somente tiver a disposição de ser ajudado.”

Na mesma hora, ele disse em voz alta: “Senhor, eu certamente nada posso fazer sozinho, mas estou disposto, sem qualquer reserva, a ser ajudado por Ti.”

Durante toda aquela dolorosa provação, John Newton cumpriu, como de costume, com todos os seus deveres normais e ocasionais. Alguém que não o conhecesse, dificilmente seria capaz de dizer, por sua aparência, que estaria passando por momentos difíceis.

Como  Newton foi ajudado? Ele optou por ser ajudado. Percebeu que seu dever era resistir ao pesar e à distração. Percebeu que era pecado se afundar na auto-comiseração e, então, se voltou para o Senhor sem fazer uma única pergunta, senão apenas sinalizando sua disposição de ser ajudado.

Ele não foi ajudado por consolações da mente, oriundas de sentimentos,  mas por ser capacitado a perceber algumas das grandes e principais verdades da Palavra de Deus. O Espírito de Deus o ajudou, fazendo com que algumas das verdades necessárias da Palavra de Deus se tornassem vivas para ele.

Ele escolheu confiar em Deus; voltou-se para Ele com uma atitude de dependência e foi capacitado a discernir algumas das grandes verdades das Escrituras.

A escolha pessoal, a prática da oração e a leitura da Palavra foram os elementos cruciais para que ele fosse ajudado a confiar em Deus.

Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob direção de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *