O que a sua vida diz? Ela prova que sua profissão de fé é verdadeira ou a destrói em pedaços?

“Disse o néscio no seu coração: Não há Deus!” (Sl 14.1).

Negar a existência de Deus é ser um ateu, e todos os ateus são néscios insensatos. No entanto, aqueles que professam ser ateus, e vivem de acordo com sua profissão, são néscios mais honrados do que milhões de hipócritas disfarçados que professam a fé em Cristo e ainda vivem como infiéis! Pelo menos, ateus declarados são néscios consistentes! Ateus dizem que não há Deus, e, sendo verdade a profissão deles, vivem como se não houvesse Deus. Mas há multidões incontáveis de freqüentadores de igreja que, em sua religiosidade pretensiosa, denunciam o ateísmo como uma abominação e ainda vivem como os ateus! Esses ateus que vão à igreja são patéticos porque lhes faltam a honestidade e a coragem de falar o que eles dizem com sua vida e em seu coração a cada dia: que não há Deus!

Homens e mulheres que dizem acreditar em Deus e ainda vivem como no inferno são ateus de coração – e isso os fazem os mais néscios de todos os néscios!

“Eu sou um beberrão, mas acredito em Deus!”

“Eu sou um mundano profano, mas acredito em Deus.”

“Eu sou um fornicador vil e imundo, mas acredito em Deus.”

“Eu gosto do inferno, mas estou indo para o céu.”

“Eu não adoro a Deus, mas acredito em Deus.”

“Eu não leio a Bíblia nem pratico seus ensinamentos, mas amo o Deus que a escreveu.”

Tal jargão estúpido trai o ateísmo que está entranhado no coração de hipócritas religiosos ao redor do mundo! Se você quer saber no que alguém crê, não se iluda com o que ele diz e só considere como ele vive. Todos aqueles que dizem que há um Deus nos céus e, apesar disso, recusam-se a honrar o Filho de Deus, são nada mais do que ateus disfarçados de cristãos.

Eu me pergunto: “O que a sua vida diz? Ela prova que sua profissão de fé é verdadeira ou a destrói em pedaços?”


(Traduzido por Jacilara Conceição. Revisado por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria, tradução, revisão e fonte e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo.)