O sustento ao nascer do dia

A referência a gotas de orvalho está em Jó 38.28: “A chuva porventura tem pai? Ou quem gerou as gotas do orvalho?” Nesse capítulo, Jó é desafiado por Deus a responder perguntas simples sobre a criação. Jó, que supunha compreender os arcanos de Deus e que O chamava para debater questões profundas sobre Seus desígnios, é confrontado com a própria ignorância: se não sabe como a chuva ou o orvalho é gerado, como entender os misteriosos arranjos de Deus sobre a vida de Seus servos ou das pessoas em geral? Ao final, Jó reconhece sua absoluta ignorância e que só conhecia Deus de ouvir falar.

O orvalho é mencionado em várias passagens das Escrituras. Era com ele que o maná, o pão do céu, vinha (Êx 16). O maná precisava ser colhido antes que o orvalho se evaporasse. Em Oséias 14.5, Deus mesmo se apresenta como orvalho: “Eu serei para Israel como o orvalho. Ele florescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o [cedro do] Líbano.” Deus como orvalho seria suficiente para fazer de Israel um lírio (uma flor frágil) com raízes de cedro do Líbano (árvore muito grande, resistente a tempestades graças a suas raízes que podem alcançar centenas de metros de profundidade). Ou seja, Israel seria aparentemente, naquilo que é visível, frágil, mas seria vigoroso em suas raízes. Não é esta uma excelente descrição da vida cristã bíblica?

Aquelas gotículas de água depositadas sobre a vegetação são para ela suprimento, alimento, garantia de vida. É o que esta nova seção, que será atualizada toda quarta-feira, se propõe ser: frases curtas de servos de Deus que sirvam de suprimento espiritual para os leitores. Não são frases de efeito, trocadilhos bobos, frases pensadas em laboratório para palestras ou livros de sucesso; não são frases vazias ou óbvias como as dos livros de auto-ajuda. Elas são um pouco da colheita do que esses homens aprendaram com Deus no caminho da cruz, da submissão, da obediência. Por isso, elas têm a aparência despojada de um lírio, mas são sustentadas por raízes profundas em Deus e em Sua Palavra.

Na extinta revista cristã À maturidade havia uma seção com esse nome. É nela que nos inspiramos, dando prosseguimento a seu propósito: refrescar os filhos de Deus logo pela manhã com gotas que vêm do céu.

De duas coisas a igreja necessita: mais morte e mais vida. Mais morte a fim de viver; mais vida para poder morrer.

(C. A. Fox)

Nas ambições humanas, os homens constantemente mencionam: “Onde há uma vontade certamente há um caminho!” Senhor, seja nosso ditado ainda mais excelente: “Onde nossa vontade morreu, podemos certamente encontrar Teu caminho!”

(E. L. Bevir)

Ó Senhor, Teu desejo não é transformar o deserto, mas, sim, guardar nossos passos para que não nos desviemos do caminho que Teus próprios pés antes trilharam.

(F. E. Bevan)