Gotas de orvalho que alimentam a fé!

Deus […] ouve as orações e concede bênçãos mesmo muito tempo depois delas parecerem não ter sido respondidas ou ter sido recusadas. Ele não promete dar bênçãos de imediato. Ele promete apenas que o fará, que vai responder à oração. Mas Ele muitas vezes faz com que Seu povo espere. Ele prova a fé de Seus filhos. Ele os deixa a perseverar durante meses ou anos, até que “sintam” inteiramente sua dependência Dele, até que percebam que não podem obter a bênção de nenhuma outra forma e até que estejam “preparados” para recebê-la. Muitas vezes eles ainda não estão preparados para recebê-la logo que pedem por ela. Eles podem se orgulhar, ou não têm a percepção exata de sua dependência, ou não irão valorizar a bênção, ou aquele momento pode não ser o melhor para que a obtenham. Mas que ninguém se desespere. Se a coisa é para nosso bem, e se é apropriado que ela seja concedida, Deus vai dá-la. Vamos, antes de tudo, pedir corretamente, vamos nos assegurar de que nossa mente está em um estado adequado, vamos sentir nossa necessidade da bênção, vamos inquirir a fim de saber se Deus tem prometido semelhante bênção e, então, vamos perseverar até que Deus a dê.

(Albert Barnes)

A Bíblia não é nada mais do que a voz Daquele que se assenta no trono. Cada livro, cada capítulo, cada sílaba, cada letra da Bíblia é um pronunciamento direto do Altíssimo.

(John William Burgon)

Deus não leva em conta a gramática de nossas orações, se é acertada; nem a retórica de nossas orações, se são eloqüentes; nem a geometria de nossas orações, quão longas sejam; nem a música de nossas orações, quão doce seja nossa voz; nem a lógica de nossas orações, quão argumentativas são; nem o método de nossas orações, quão ordenadas são. O que vale diante Dele é a devoção de espírito.

(William Law)

A verdade espiritual só é discernível por um coração puro, não por um intelecto agudo.

(Oswald Chambers)

A coisa mais difícil do mundo é tornar-se pobre de espírito.

(D. Martyn Lloyd-Jones)

Cristo tomou nosso cálice de dor, nosso cálice da maldição, pressionou-a aos lábios, bebeu-o com os sedimentos; então, encheu-o com Seu doce, perdoador, simpático amor, e deu-o de volta para nós bebermos, e bebermos para sempre!

(Octavius Winslow)

Se Deus não fosse meu amigo, Satanás não seria meu inimigo.

(Thomas Brooks)

Traduzido por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo.
Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob direção de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.