Gotas de orvalho (57)

Autor: Vários
Gotas de orvalho que alimentam a fé!

Nosso orgulho sente desgosto por nossas falhas, e muitas vezes confundimos esse desgosto com o verdadeiro arrependimento.

(François Fenelon)

O pecado deve ser ocasião para grande tristeza, quando não há tristeza em pecar.

(John Owen)

A fé não elimina as dúvidas. Mas a fé sabe para onde levá-las.

(Elisabeth Elliot)

Será que nos encontramos num padrão tão inferior ao dos cristãos neotestamentários que não possuímos mais a fé dos nossos antepassados (com todas as suas realizações e implicações), mas somente a fé emocional de nossos contemporâneos? A oração é para o crente o que o capital é para um homem de negócios. Não se pode negar que a maior preocupação da igreja hoje são as finanças. E, no entanto, esse problema que tanto inquieta as igrejas modernas era o que menos perturbava a do Novo Testamento. Hoje damos mais ênfase à contribuição; eles a davam à oração.

(Leonard Ravenhill)

Nada que não seja decorrente do amor pessoal a Cristo e da comunhão com Ele pode ter algum valor. Podemos saber de cor as Escrituras, pregar com eloqüência e fluência consideráveis, com uma fluidez que as pessoas podem facilmente até confundir com poder de Deus. Mas não devemos nos enganar: se nosso coração não beber profundamente da fonte principal, se o que nos incentiva não é o amor de Cristo que brota de uma realidade prática, o resultado de tudo isso será algo fugaz, passageiro!

(C. H. Mackintosh)

Mate o pecado antes que ele o mate.

(Richard Baxter)

O homem, cujo tesouro é o Senhor, tem todas as coisas concentradas Nele. Outros tesouros comuns talvez lhe sejam negados, mas, mesmo que lhe seja permitido desfrutar deles, o usufruto de tais coisas será tão diluído que nunca é necessário a sua felicidade. E, se lhe acontecer de vê-los desaparecer, um por um, provavelmente não experimentará sensação de perda, pois conta com a fonte, com a origem de todas as coisas, em Deus, em Quem encontra toda satisfação, todo prazer e todo deleite. Não se importa com a perda, já que, em realidade, nada perdeu, e possui tudo em uma pessoa – Deus – de maneira pura, legítima e eterna.

(A. W. Tozer)

A vida de Cristo é o modelo a que os cristãos devem se moldar: primeiro sofrer; então, entrar na glória.

(Robert Govett)

 

Revisado por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo.
Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob direção de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *