(Atualização em 3.7.15)

Bem-vindo!

Meu nome é Francisco Nunes. Neste blogue, vou apresentar um pouco das insondáveis riquezas de Cristo, o Boaz Celestial, espalhadas por Seus campos e colhidas por Seus servos fiéis ao longos dos séculos. A presença de algum autor não significa que eu concorde com tudo o que ele tenha escrito, mas que aquele texto em especial é bíblico, proveitoso e merece consideração.

Muito importante: Todos os textos sem identificação de autor são de minha autoria. As opiniões neles apresentadas são minhas, não tendo necessariamente a anuência da igreja em que me reúno. E mais uma coisa: não tenho nenhuma relação com os anúncios que porventura apareçam aqui. Eles são apresentados por sistemas automatizados, sobre os quais não tenho nenhuma influência. Peço desculpas antecipadamente se algum deles for ofensivo de qualquer modo.

 

(Atualização em 4.7.15)

O trecho a seguir é traduzido e levemente adaptado de Post Script, do excelente (apesar de muito feio) The Millenial Kingdom, sítio com vasto material dos “irmãos” acerca do reino milenar e suas implicações. Como identifico-me com os irmãos, em grande  medida, em seu entendimento das Escrituras, principalmente com sua escatologia, faço minhas as palavras de W. H. T., editor do Millenial Kingdom. É o que você lê abaixo. (Não rejeite de imediato o que é apresentado por ser novo, por soar estranho, por não parecer se encaixar no que você aprendeu até hoje. Consulte os versículos bíblicos indicados, compare com outras passagens, veja outros artigos aqui no blogue. Acima de tudo, confira com toda a Escritura e peça a orientação clara do Espírito Santo. Ele tem a tarefa, e todo o interesse em, de nos levar a toda a verdade.)

Minha principal preocupação é ser fiel aos ensinamentos de Cristo, mesmo os impopulares e muitas vezes desconhecidos, não importando o custo:

“Não foi fácil para Calebe e Josué permanecerem na posição contrária à dos outros dez espias. Durante seis semanas, aqueles homens tinham sido seus companheiros próximos. Sem dúvida, para muitos deles, eles tinham obrigações. Na verdade, os perigos da tarefa na qual haviam se empenhado tendiam a fomentar o espírito de camaradagem em um grau bastante excepcional. Não foi fácil, depois disso, quando a ocasião de dar o relatório veio, para os dois homens contradizer os dez e recomendar uma ação oposta à que eles propunham. Nunca é fácil romper com os de nosso grupo, mas às vezes temos de estar preparados para fazer isso, se quisermos viver para um propósito. Muitos vão para a destruição simplesmente porque não conseguem dizer não.”

“Ele julgará o mundo com justiça e os povos com a Sua verdade” (Sl 96.13b).

O editor deste blogue crê que muitas doutrinas bíblicas são ou ignoradas ou mal interpretadas hoje. São elas:

  1. O lugar intermediário e o estado da alma no Hades, do momento da morte até o momento da ressurreição (At 2.27; Mt 16.18; Lc 16.23,31; cf. Ap 6.9-11; Hb 11.35b,40.)
  2. A ressurreição seletiva para o galardão, somente para “os que forem havidos dignos de alcançar o mundo vindouro” (Lc 20.35; cf. 14.14; Fp 3.11; Hb 11.35b; Ap 20.4-6).
  3. O arrebatamento (ou transladação) seletivo dos santos “havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer” (Lc 21.36; cf. Ap 3.10).
  4. A entrada condicional no Reino do(s) Céu(s). Ou seja, para aqueles cuja justiça pessoal excede a dos escribas e fariseus (Mt 5.20; 1Co 6.9,10; Gl 5.13,21; Ef 5.3-7).
  5. A unidade dos redimidos de todas as eras. Isto é, todos os que são chamados para fora do mundo pelo Espírito Santo são verdadeiros membros da Igreja de Deus e membros regenerados do Corpo de Cristo (Rm 12.4; 1Co 10.16,17; 12.12; Ef 1.23; 3.6; 4.4,12,16; 5.23; Cl 1.18).
  6. A Noiva de Cristo é tomada de entre os membros de Seu Corpo. Isto é, aqueles que foram selecionados para governar e reinar com Ele são tomados do Corpo (cf. Gn 2.22,23), que é a Igreja, os membros resgatadas de Sua família (cf. Gn 24). Em Apocalipse, a Noiva de Cristo é descrita como tendo se aprontado por meio de “atos de justiça”, formada pelos “chamados à ceia das bodas do Cordeiro” (Ap 19.7,8) – eles representam uma seleção de santos, tomada a partir de uma seleção prévia [todos os redimidos], para governar com Cristo durante Seu milênio.
  7. O risco de perder “a coroa da vida” (Ap 2.10), que não é a perda da vida eterna, pois essa é “o dom gratuito de Deus” (Rm 6.23), mas é a perda da vida com Cristo e com todos os outros vencedores na era vindoura (Ap 3.21; 20.5; cf. v. 15; Tg 1.12; Mt 16.25; 19.17; Lc 22.28).

O editor acredita que se abrisse mão, de alguma forma, daquilo que acredita firmemente serem os ensinos de Cristo e de Seus apóstolos, isso seria prejudicial para sua mordomia no tribunal de Cristo (2Co 5.10; 1Co 4.2).

Ele também é consciente de sua necessidade de entendimento e interpretação claros e verdadeiros de outras declarações de Cristo e de Seus profetas e apóstolos. Mesmo Pedro afirmou serem difíceis de entender alguns dos ensinamentos de Paulo (2P3 3.15,16)! Mas, se não atentarmos para fazer uso do que temos certeza de haver recebido do Espírito Santo da verdade, podemos perder o que atualmente esperamos receber (não a salvação que é comum a todos os redimidos [Jd 3]), mas a futura salvação de nossa alma (1Pd 1.13,9,), que está “prestes para se revelar no último tempo” (v. 5).