4 min leitura

Temos um serviço que monitora nossas contas bancárias para protegê-las contra roubo de identidade. Alertamos nossos filhos quando eles estão indo em direção ao perigo. Certificamo-nos de que nossos celulares são seguros e que nossa casa está bem fechada. Estamos vigilantes para proteger o que é importante para nós.

Nós protegemos o que é valioso para nós, não é? Talvez não.

Muitos casamentos ruíram porque um ou ambos os cônjuges não conseguiram proteger seu coração. A Bíblia diz: “Acima de tudo, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv 4.23). Mas de que coisas, especificamente, podemos proteger o coração?

Aqui estão cinco coisas das quais proteger o coração, seguidas por aquilo que ganhamos por ser diligentes nisso. Veja quais dizem respeito a você. Então, com a ajuda de Deus, faça todo o possível para proteger seu coração!

Proteja seu coração de

1. Curiosidade. A porta da tentação aparece bem aberta quando nos permitimos “só querer saber” sobre um antigo caso do ensino médio, da faculdade ou de um emprego anterior. A título de curiosidade, podemos procurá-lo no Facebook. Lemos tudo o que podemos e, então… talvez em um impulso do momento, jogamos-lhe um “Oi” particular e aguardamos ansiosos a resposta. A velha frase “A curiosidade matou o gato” é mais verdadeira no casamento do que em qualquer outro lugar. Um conselheiro, amigo nosso, nos disse que, em 90% de todos os casais que o procuraram sobre infidelidade, o Facebook estava envolvido.

Certamente a curiosidade pode levar a muitas situações de perigo além do Facebook. O ponto é: proteja seu coração contra a curiosidade doentia. Se estiver em dúvida, não procure.

2. Descontentamento. Quando nos debruçamos sobre o que não temos, nós nos abrimos para a insatisfação permanente no casamento. Gostaríamos de ter um cônjuge que fosse como o de um(a) amigo(a). “Se ele, ao menos, fosse mais divertido, mais envolvente, um ouvinte melhor, que gostasse de meus passatempos, se fosse diferentes de como ele é…”

Proteja o seu coração. Concentre-se naquilo pelo que você é grato em seu cônjuge e diga isso a ele. Ouça a si mesmo afirmar isso a seu cônjuge, e essa atitude vai revestir seu coração com teflon e protegê-lo de descontentamento.

3. Tentação sexual. Proteja seu coração de buscar imagens e vídeos na internet que só irão corroer seu caráter e arrastá-lo para um abismo escuro de vergonha e culpa.

Tentação sexual muitas vezes começa com o desejo de uma conexão mais profunda com alguém que “cuide” de nós. Proteja seu coração das pessoas do sexo oposto que parecem desejar uma conexão profunda e manifestam interesse profundo por você. Construa paredes, limites e corra para os braços de Jesus e de seu cônjuge.

4. Crítica. Isso está intimamente associado com descontentamento. Um coração crítico consegue o efeito oposto do que deseja. Queremos mudanças, mas buscamos isso por apontar constantemente o que está errado.

Não entenda mal: às vezes temos de apontar honestamente as coisas. Mas a crítica excessiva pode criar um espírito amargo que vai empurrar nosso cônjuge para longe de nós, em vez de atraí-lo.

5. Vindicação. Não precisa muito para que queiramos cuidar de nós mesmos, recompensar-nos ou confortar-nos. Estresse, conflitos, críticas e excesso de trabalho são algumas das coisas que colaboram para nos fazer pensar: “Eu mereço isso”. O que acontece em seguida é começarmos a focar em nossas necessidades como as primárias e considerar as do cônjuge como secundárias. Tornando a situação mais volátil, esperamos que nosso cônjuge satisfaça nossos desejos, e, se ele não pode fazê-lo, procuramos preenchê-los por meio de alguém ou de alguma coisa.

Temos de proteger-nos contra o pensamento de vindicação. Quando você perceber um pensamento desse tipo, reconheça-o como tal. Em seguida, peça a Deus para ajudá-lo a lutar contra isso, optando por fazer algo amável para seu cônjuge!

O que ganhamos

Aqui estão algumas coisas que ganhamos quando protegemos nosso coração:

  • Temos o favor e a bênção de Deus.
  • Estamos contentes por ter mantido nossas afeições sob controle.
  • Estamos cheios de paz, pois estamos vivendo com integridade.
  • Ganhamos apreciação mais profunda pelo cônjuge, pois somente ele tem nosso carinho terreno.
  • Temos o poder de Deus, porque Ele tem uma pessoa pura por meio de quem trabalhar.
  • Construímos nosso legado de um casamento saudável e honrado.

Em que outros aspectos você pensa que os cônjuges devem proteger o coração? Deixe seus comentários abaixo. E faça o compromisso em seu coração de protegê-lo enquanto você constrói seu casamento!

(Traduzido por Francisco Nunes de 5 Places to Protect Your Marriage.)

Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob responsabilidade de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.