2 min leitura

❝De Mim procede o teu fruto.❞

(Oséias 14.8)

Nosso fruto procede da união com nosso Deus. O fruto do galho está diretamente ligado à raiz. Cortando-se a conexão, o galho morre, e nenhum fruto é produzido. Em virtude de nossa união com Cristo nós produzimos frutos. Cada cacho de uvas esteve primeiro na raiz, passou pelo caule, fluiu através dos vasos condutores e se moldou exteriormente no fruto, mas esteve antes no caule. Assim também, toda boa obra [do cristão] esteve primeiro em Cristo e, depois, é produzida em nós. Ó cristão, dê valor a essa preciosa união com Cristo, pois ela deve ser a fonte de toda frutificação que você espera conhecer. Se não estivesse ligado a Jesus Cristo, você seria, sem dúvida, um ramo estéril.

Nosso fruto provém da providência espiritual de Deus. Quando as gotas de orvalho caem do céu, quando a nuvem parece cair do alto e está a ponto de destilar seu tesouro líquido, quando o brilho do Sol faz reluzir os frutos nos cachos, cada bênção celestial parece sussurrar à árvore e dizer: “De Mim procede o teu fruto.” O fruto deve muito à raiz – que é essencial à frutificação –, mas ele deve muito também às influências externas. Quanto nós devemos à graciosa providência de Deus, pois nela Ele nos provê constantemente ânimo, ensino, consolação, força, ou qualquer coisa de que necessitarmos. A isso nós devemos toda a nossa utilidade ou virtude.

Nosso fruto provém de Deus como sábio agricultor. A faca de lâmina afiada do jardineiro auxilia a árvore a dar frutos ao diminuir os cachos e podar os galhos excedentes. Que seja assim, cristão, com relação à poda que o Senhor faz em você. “Meu Pai é o lavrador. Toda a vara em Mim que não dá fruto, [Ele] a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto” (Jo 15.1,2). Uma vez que nosso Deus é o autor de nossas graças espirituais, vamos dar a Ele toda a glória por nossa salvação.

(Publicado em 17.11.07. Revisado e atualizado em 20.7.19.)

Traduzido por Francisco Nunes de Spurgeon Morning Devotionals (September 8 – Hosea 14:8). Revisado por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo. Ao compartilhar nossos artigos e/ou imagens, por favor, não os altere.
Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob responsabilidade de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.