2 min leitura

Você muitas vezes me ouviu dizer que a vida cristã tem duas dimensões: a primeira é a fé, a segunda são as boas obras. Um crente deve viver uma vida devota e sempre fazer o que é certo. Mas a primeira dimensão da vida cristã – fé – é mais essencial. A segunda dimensão – boa obras – nunca será tão valiosa quanto a fé. As pessoas do mundo, no entanto, adoram boas obras. Elas as consideram serem muito maiores do que a fé.

As boas obras têm sempre sido mais valorizadas do que a fé. Sem dúvida, é verdade que devemos praticar boas obras e respeitar a importância delas. Mas devemos ter cuidado para não elevar as boas obras de tal forma que a fé e Cristo se tornem secundários. Se as estimarmos em demasiadamente, as boas obras podem se tornar a maior idolatria. Isso tem ocorrido tanto dentro como fora do cristianismo. Algumas pessoas valorizam tanto as boas obras que ignoram a fé em Cristo. Elas pregam sobre e elogiam as próprias obras, em vez de as obras de Deus.

A fé deve ser a primeira. Depois de a fé ser pregada, então, devemos ensinar sobre boas obras. É a fé – sem boas obras e antes das boas obras – que nos leva ao céu. Nós nos aproximamos de Deus apenas por meio da fé.

 

(Traduzido por Francisco Nunes de “The first dimension of the Christian life”. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo.)

Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob responsabilidade de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.