1 min leitura
Cedo de manhã, o orvalho do céu!

Devemos permitir que a Palavra de Deus nos confronte, que perturbe nossa segurança, que mine nossa complacência e derrube nossos padrões de pensamento e de comportamento.

(John Stott)

Se virmos um cisco no olho de um irmão, precisamos primeiro ver se há uma trave em no olho; talvez aquele cisco no olho de nosso irmão seja apenas um reflexo da trave em nós mesmos.

(David Watson)

Para Deus, explicar uma provação seria destruir Seu propósito, que é evocar fé simples e obediência implícita.

(Alfred Edersheim)

A tragédia da vida e do mundo não é que os homens não conheçam a Deus; a tragédia é que, conhecendo-O, eles ainda insistem em seguir seu próprio caminho.

(William Barclay)

Eu vi um Salvador sangrando – e agora odeio meu pecado!

(John Newton)

Visto que Deus nos assegurou que faz com que todas as coisas cooperem para nosso bem, paciência e resignação à vontade divina em todas as coisas é nosso dever. Em Seu tempo adequado, Ele poderá nos permitir ver tais sabedoria e bondade em todas as nossas circunstâncias, a fim de encher nosso coração com arrebatamentos de alegria. Segui-Lo é nossa tarefa – sem murmurar ou reclamar.

(Thomas Charles)

Mesmo quando não podemos ver o motivo dos tratamentos de Deus, sabemos que há amor dentro e por trás deles, e assim podemos nos alegrar sempre.

(J. I. Packer)

Revisado por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo. Ao compartilhar nossos artigos e/ou imagens, por favor, não os altere.
Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob responsabilidade de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.