3 min leitura

À parte do Espírito, a Bíblia não pode vivificar, nem santificar, nem confortar. Ela pode ser lida constantemente, e pesquisada profundamente, e conhecida acuradamente, e compreendida parcialmente, e citada apropriadamente. No entanto, deixada a seu próprio poder não assistido, ela tem apenas palavras, não produzindo resultados santos, nem permanentes, nem de salvação. Desacompanhada do poder do Espírito Santo, a Bíblia é inativa e inoperante ― uma mera letra morta! Tudo o que sabemos espiritualmente a respeito de nós mesmos, de Deus, de Jesus, de Sua Palavra devemos ao ensino sobrenatural do Espírito Santo. Toda luz verdadeira, santificação verdadeira, força verdadeira e todo conforto verdadeiro que temos em nosso caminho para a glória devemos atribuir ao Espírito Santo.

(Otávio Winslow)

Quando Cristo se revela, há satisfação mesmo na porção mais mirrada, e, sem Cristo, há vazio na maior plenitude.

(Alexander Grosse)

Constância no crer não exclui todas as tentações exteriores. Quando dizemos que uma árvore está firmemente enraizada, não estamos dizendo que o vento nunca sopra sobre ela.

(John Owen)

Não vos desvieis de seguir ao Senhor,
mas servi ao Senhor com todo o vosso coração.
E não vos desvieis;
pois seguiríeis as vaidades,
que nada aproveitam,
e tampouco vos livrarão, porque vaidades são.
Pois o Senhor,
por causa do Seu grande nome,
não desamparará o Seu povo,
porque aprouve ao Senhor fazer-vos o Seu povo.
[…]
Tão-somente temei ao Senhor,
e servi-O fielmente com todo o vosso coração;
porque vede quão grandiosas coisas vos fez.

(1Sm 12.20b-22,24)

Algumas pessoas não têm noção da vileza de seu pecado, e nenhuma percepção da infinita e santa oposição de Deus a ele. Elas acham que Deus não tem padrões mais altos do que os delas. Então, elas se dão bem com Ele e sentem uma espécie de amor por Ele, mas elas estão amando um Deus imaginário, não o Deus real! Há outras cujo amor-próprio produz uma espécie de amor a Deus simplesmente por causa das bênçãos materiais que receberam de Sua providência. Não há nada de louvável nisso também. O amor-próprio pode produzir uma gratidão meramente natural a Deus. Isso acontece por causa de idéias erradas sobre Deus, como se Ele fosse só amor e misericórdia, e nenhuma justiça vingadora, ou como se Deus fosse obrigado a amar uma pessoa por causa da dignidade dela. Por esses motivos, os homens podem amar um Deus de sua própria imaginação, quando não têm amor algum pelo verdadeiro Deus.

(Jonathan Edwards)

Deus nunca se apressa. Não há prazos contra os quais Ele deva trabalhar. Saber isso é suficiente para acalmar nosso espírito e relaxar nossos nervos.

(A. W. Tozer)

Nós devemos crer que Deus é capaz de fazer o que Ele quiser, é sábio para fazer o que é melhor, e é bom, de acordo com Sua promessa, para fazer o que é melhor para nós, se nós O amamos e O servimos.

(Matthew Henry)

Traduzido por Francisco Nunes. Revisado por Francisco Nunes. Este artigo pode ser distribuído e usado livremente, desde que não haja alteração no texto, sejam mantidas as informações de autoria e de tradução e seja exclusivamente para uso gratuito. Preferencialmente, não o copie em seu sítio ou blog, mas coloque lá um link que aponte para o artigo. Ao compartilhar nossos artigos e/ou imagens, por favor, não os altere.
Campos de Boaz: colheita do que Cristo, o Boaz celestial, espalhou em Seus campos é um projeto cristão voluntário sob responsabilidade de Francisco Nunes.
Licenciado sob a Licença Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial-Vedada a Criação de Obras Derivadas 3.0 Brasil License.