Gotas de orvalho (82)

É nos estágios sucessivos da experiência que o crente vê mais distintamente, e adora mais profundamente e se apega com mais firmeza à justiça conquistada por Cristo. Qual é a escola onde ele aprende sua insignificância, sua pobreza e sua absoluta escassez? É a escola da santa e profunda Continue lendo [...]

Gotas de orvalho (81)

Porque Deus permite que a pressão venha sobre nós? Por nenhuma outra razão senão a de nos revelar que qualquer coisa que nós julgamos capazes de realizar e suportar ou de a ela resistir, podem nos reduzir a nada. Somos pressionados a tal ponto que só podemos dizer: “Ó Deus, não posso mais Continue lendo [...]
Os galhos que dão fruto

Os galhos que dão fruto

Há duas coisas notáveis a respeito da videira. Não existe uma planta cujo fruto contenha tanto álcool e da qual o álcool possa ser destilado tão abundantemente, como a videira. Mas também não existe outra planta que possa tão rapidamente tornar-se selvagem, prejudicando sua frutificação; Continue lendo [...]

Gotas de Orvalho (44)

Mesmo o céu não é tão valioso e precioso como Cristo é! Dez mil mil mundos, tantos mundos quanto os anjos puderem enumerar, não superam o amor, a excelência e a doçura de Cristo! Oh, quão amável! Que excelente, belo e arrebatador é Cristo! (John Flavel) Uma fé que pode ser destruída Continue lendo [...]

Gotas de Orvalho (38)

É melhor ser podado para crescer do que ser cortado para queimar. (John Trapp) O pecado começa como teia de aranha, mas torna-se uma camisa de força. (J.C.Ryle) Deleitar-se [em Deus] é a única alegria capaz de satisfazer a alma. Ir para o céu e desfrutar o Senhor de modo pleno é infinitamente Continue lendo [...]

A oração perseverante de uma mãe (Andrew Murray)

“E eis que uma mulher cananeia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. […] Então lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E desde aquele momento sua filha ficou sã.” Continue lendo [...]

Família – céu ou inferno? (Andrew Murray)

  Deus criou o homem à sua própria semelhança (Gn 5.1). O homem caído também produziu filhos à sua semelhança, de acordo com sua imagem. Infelizmente, depois da queda de Adão, seus filhos receberam a sua semelhança, e não a de Deus (v. 3). Este fato nos mostra o temível e universal Continue lendo [...]